Starcraft : Evolution

 sc2 evo

Resumo:

Em StarCraft: Evolution, a guerra entre Terrans, Protoss e Zergs acabou faz anos, mas a luta pela paz continua sendo travada. Enquanto o Domínio Terran continua lutando para se recuperar no pós-guerra, o imperador Valerian Mengsk mostra que não tem a mínima intenção de governar com o mesmo punho de ferro do seu pai, Arcturus. Ao invés de procurar por vingança, Valerian está determinado em manter a paz. E ao receber um pedido urgente de ajuda vindo de Zagara, a Overqueen do selvagem Enxame zerg, ele concorda em atendê-lo apesar do seu próprio sentimento de apreensão quanto a solicitação e devido a desaprovação por parte do Hierarca Protoss, Artanis.
 

Zagara diz que o Enxame mudou. Não é mais uma arma voltada para a destruição, e que eles revitalizaram o planeta Gystt, até então considerado irrecuperável após a incineração pela forças Protoss nos tempos de guerra. Agora os Zergs desejam apenas viver em paz e cultivar a sua nova vida. Porém, quando os agentes do Domínio Terran – Um fuzileiro impertinente, um exterminador imprevisível, um ex-agente fantasma e um enigmático pesquisador Protoss – chegam para investigar o planeta, logo começam a suspeitar que nem todos os Zergs estão sobre o controle de Zagara e são voltados para o seu sonho de um paraíso harmonioso. Gystt esconde segredos obscuros, e caso eles sejam despertos, pode significar desastre para o universo.

 

SPOILER ALERT! – Se você não jogou as três primeiras missões de Nova Covert Ops e nem terminou a campanha do Legacy of the Void, pare enquanto pode (ou prossiga lendo por sua conta e risco).
 
Agora sabemos o que aconteceu com o enxame. Ao finalizar a campanha do Legacy of the Void, a situação era essa: O Domínio Terran sobre ataque mas se consolidando, as Forças Zergs agora eram lideradas por Zagara tendo Char como mundo central e os Protoss mesmo desvinculados do Khala, mas trabalhavam juntos para reconstruir Aiur.
 
Com as três primeiras missões da Nova, uma nova facção Terran foi adicionada ao jogo, Os Defensores do Homem. Um grupo semiterrorista que demonstrou clara oposição a Valerian e seu governo, e que demonstra nenhum escrupulo ao usar de emissores psiônicos para controlar forças Zergs e aterrorizar os civis.
 
E agora temos essa nova parte do quebra-cabeças. Mas fica a pergunta… O que raios aconteceu com Zagara para os Zergs virarem “animais de estimação”? ou melhor, com Kerrigan pós Wings of Liberty.
 
Um breve flashback:
 
– No StarCraft 1 Kerrigan foi transformada em um Zerg assassino e brutal conhecido como Rainha das Lâminas;
– No Brood War ela manipulou e dilacerou a concorrência no setor Kropulu, terminando a expansão como líder absoluta das forças mais brutais no setor;
– Após 4 anos, a Rainha das Lâminas voltou a lutar contra as forças Terrans no Wings of Liberty, ao final deste, ela teve a consciência humana restaurada, apesar de ainda apresentar traços Zergs;
– No Heart of the Swarm, Kerrigan volta a assumir a forma de Rainha das Lâminas, desta vez retendo a sua humanidade, e passa a focar o poder destrutivo dos Zergs contra Amon, a nova ameaça ao setor e a todo o universo;
– No Legacy of the Void, juntamente com as forças Protoss e Terran lideradas por Artanis e Raynor respectivamente, Kerrigan se torna um Xel’Naga e passa o controle do Enxame para Zagara.
– Sabemos de longa data que a narrativa do StarCraft 2 se distanciou de maneira brutal da apresentada no StarCraft 1. O Overmind foi de um ser autossuficiente que visava o confrontos com os Protoss pelo simples motivo de absorver a capacidade psiônica destes, para um escravo sanguinolento de um Xel’Naga renegado cujo único desejo era impor a sua vontade sobre o universo (interromper o ciclo evolutivo criado pelos outros Xel’Nagas e exterminando os que se opusessem a sua visão). E Kerrigan foi de líder brutal para Deusa Xel’Naga em 5 anos.
 
Alguns irão argumentar que o tempo entre o Heart of the Swarm e o Legacy of the Void foi o suficiente para que Kerrigan tenha “ensinado” a sua cadeia de comando Zerg (Abathur, Zagara, Dehaka e Stukov) que vidas são importantes, por mais que isso seja uma completa descaracterização completa do Enxame.
 
Do Manual do StarCraft 1:
 
Os Zergs eram internamente seletivos a quais espécies eles deveriam consumir, assegurando que qualquer estágio de seu desenvolvimento estava no topo de sua proverbial cadeia alimentar. Qualquer raça que os Zergs atacassem, que viesse a ser desmerecedora de assimilação, era erradicada para a tentativa de purificação da espécie.
 
Os Xel’Naga logo fizeram uma alarmante descoberta. As raças originais assimiladas pelos Zergs eram dificilmente reconhecíveis após algumas gerações de sua mutação. De alguma maneira os Zergs desenvolveram a habilidade de alterar os processos genéticos de evolução nas criaturas assimiladas. Essas criaturas se viram presas aos efeitos das mutações físicas graduais que causaram crescimento de armaduras com espinhos penetrantes, membros cortantes e carapaças ultra-densas. Em um curto espaço de tempo, a população cresceu criando uma devoradora e unificada raça.

Os Zergs como raça eram essencialmente as garras e tentáculos do Overmind, uma criatura de perspicácia e sagacidade impar. E num curto intervalo de tempo, durante os eventos entre o Heart of the Swarm e o Legacy of the Void, a natureza da raça foi radicalmente mudada.
 
É claro que os Zergs, bem como todos os elementos do universo de StarCraft pertencem a Blizzard e ela faz o que ela quiser com eles. Mas, aqui ficam expressos o desejo dO Correspondente Nômade para que esse seja o maior “bait’n switch” da história do StarCraft e não um permanente “Zergs are your friends!”.

Fonte: http://bit.ly/CorrespondenteNomade
Starcraft Wikia: http://starcraft.wikia.com/wiki/StarCraft:_Evolution

Leave a Reply